Chapada Diamantina 2011.


Melhor trilha do mundo, do mundo só não, DA BAHIA!!! Com essa frase que resume o sentimento especial do Pedalada da Noite pela Chapada Diamantina definimos a 4ª Expedição PN à Chapada dos Diamantes.

Além dos diamantes, o ouro teve papel fundamental no desenvolvimento daquela região e acabou por criar uma série de caminhos, povoados e cidades. Dessa vez, resolvemos desvendar os mistérios da entrada meridional da região buscando conhecer as trilhas que levavam as pessoas de um lugar para o outro no começo do século XVIII. Em 2011, Joab Rocha nos “vendeu” essa aventura e compramos o desafio. Ponto de partida: Mucugê. Ponto de Chegada: Fazenda Vacaro – Rio de Contas. Três dias pedalando pelas paisagens mais bonitas do Mundo, aliás do mundo só não, DA BAHIA!!!!

Brincadeiras a parte, a segurança é sempre um fator levado muito a sério pelo nosso guia e por conta desse fato ele escalou mais uma pessoa para a aventura desse ano. Alias, Joab não poderia ter encontrado pessoa mais adequada do que Orestes Terra, conhecido como Terráqueo. Ele é mais um dos experientes guias da Chapada Diamantina e um dos “Bandeirantes” do Parque Nacional. Assim como Joab, Terra tem buscado desenvolver o verdadeiro Mountain Bike por lá. Até mesmo a famosa ciclo ativista do canal ESPN, Renata Falzoni, já conheceu algumas trilhas ao lado do Terráqueo.

Com a entrada de Terra para o grupo, totalizamos 11 ciclistas: Joab Rocha, Orestes Terra, Fernando Carvalho, Carlão Ribeiro, Alex Miranda, Fátima Carvalho, Sheila Garzaro, Maurício Lopes, Paulo Fernando Malbouisson, Carlos Eduardo e Alessandro Lisboa. Não podemos deixar de incluir nessa lista o nosso querido “chofer” Roque que pelo segundo ano consecutivo nos levou para Mucugê. Saímos de Salvador às 21:00 da sexta-feira (11/11/2011) e chegamos à sede da Terra Chapada ao amanhecer. Antes das primeiras pedaladas precisávamos nos abastecer e fizemos isso na Pousada Mucugê. Excelente café da manhã para quem iria sair de 983 metros de altitude para o município mais alto do nordeste à quase 1300 metros, Pata. Iniciamos a subida ás 08h e concluímos os 55km ás 16h. Foi um dia dos mais duros na nossa história de Chapada. Em algumas subidas tivemos que empurrar ou carregar que sempre nos levou para muitos lugares. Mas realizamos a primeira tarefa com sucesso. Depois do banho, nos reunimos para jantar no Restaurante Armazém onde ao final conhecemos uma das preciosidades daquela região o ouro negro, o famoso café de Piatã. Todos os anos, os cafés de Piatã são premiados e considerados os melhores do Brasil e do mundo, do mundo só não, DA BAHIA!!! As condições climáticas são muito favoráveis ao cultivo do café de altíssimo nível.

O segundo dia prometia grandes emoções e depois de revisarmos as bikes partimos para algumas das descidas mais alucinantes da Chapada. O novo objetivo era pedalar outros 55 km até o distrito de Arapiranga a 20km de Rio de Contas. Imagine descer de quase 1300m à 576m. Foram descidas incríveis, nas quais, os dedos doíam de tanto usar os freios. Tenho certeza que cada um dos expedicionários diria que esse dia foi especial por um motivo diferente: as descidas, a emoção de pedalar a noite usando lanternas, as subidas de pedras, a pausa para um banho de cachoeira, o bate-papo com os nativos de Ouro Verde, etc. No entanto, o que mais chamou a atenção de alguns foi o maior single track que já pedalamos com cerca de 35km. Simplesmente espetacular!! Imagine pedalar por aquele estreito caminho por várias horas, para quem gosta, como é o meu caso, foi uma experiência singular. Depois de superar a área denominada pelos participantes do Brasil Ride de Vietnã, os vietcongs do PN foram calorosamente recebidos pelos moradores de Arapiranga quase ás 22h. Você deve estar pensando que a essa altura o grupo estava completamente “destruído” fisicamente e que todos adormeceram imediatamente após a chegada. Ledo engano. Peço licença para explicar o sentido dessa expressão. “Ledo engano é um termo usado quando alguém cometeu um erro ou engano, geralmente de boa-fé, ou seja, quando a pessoa não tem a intenção de fazê-lo. A palavra ledo vem do latim e significa risonho; alegre", portanto a expressão significa engano alegre”. Pois, foi assim mesmo risonhos e alegres que iniciamos uma “cantoria” na van que nos levou até Rio de Contas. OSCARLOS , Carlos Ribeiro no violão e Carlos Eduardo na percussão, fizeram uma apresentação magnífica com diversos sucessos da MPB. Depois da Pizza iniciou-se o período de descanso que durou mais de 24h.


Segunda-feira, 14/11/2011, decretado dia de descanso.

Alex Miranda, que mais uma vez trabalhou como voluntário no Brasil Ride dias antes, nos levou para a Cachoeira do Fraga. Um dia inteiro nas águas cheias de Tanino que tornam as águas escuras na Chapada Diamantina. Merecido descanso para pernas de 110km. Mais um dia especial no centro do Estado em meio às montanhas. Havíamos previamente incluído esse dia livre na nossa Expedição e ele foi muito especial para estreitar ainda mais antigos e novos laços de amizade.


Terça-feira, 15/11/2011, dia de se despedir da região do ouro e conhecer o local onde é fabricada a melhor cachaça orgânica do Brasil, do Brasil só não, DA BAHIA!!!: A Serra das Almas. Pedal de apenas 35km com banho na Ponte do Coroné. Levíssimo cross country. O dia começou com a apresentação de um novo guia: Binho “Oreia”. Vale lembrar que 2 bikes não resistiram aos “exageros” da Chapada e Carlos Ribeiro e Paulo Fernando passaram a nos acompanhar no carro de apoio já que não tiveram condições de reparar os seus equipamentos. Às 13h encaixamos as bicicletas na carrocinha do PN e concluímos a EXPEDIÇÃO 2011. Antes de chegarmos ali, avistamos os desafios de 2012, os picos da Chapada Diamantina: o Pico das Almas, a Serra do Barbado e o Pico do Itobira.

Prepare-se e venha pedalar com a Família Pedalada da Noite na Chapada em 2012!!!!

Texto: Alessandro Lisboa

Fotos: Carlão Ribeiro