Trilha Santo Amaro 17 de julho de 2016

Numa suave manha de domingo de julho, com clima e temperatura amena e pouco sol, chegamos em Santo Amaro para uma trilha programada com o grupo local com o apoio dos amigos Fabio Sebastião e Valdomiro Caldas.
Iniciamos a nossa pedalada partindo da Igreja Matriz de Santo Amaro da Purificação na praça de mesmo nome  onde fizemos a foto comemorativa, com destino a cachoeira do Rio do saco no distrito de pedras.
 Nosso percurso foi guiado pelos amigos Valdomiro Caldas, Fábio Sebastião e Leonardo Gonçalves  que nos guiariam ao nosso destino. Partirmos por volta das 8:30 da manhã com cerca de 35 ciclistas, todos empolgados e determinados a subir as ladeiras que nos levariam ao distrito de Pedras que possui  inclinação média e com cerca de 350 metros de altimetria mas que em determinados momentos, parecem que estamos indo pro céu pois não acabavam nunca.
No início todos estavam bem empolgados conversando enquanto pedalavam pelo Asfalto da Estrada do Bonfim mas, ao chegarmos na primeira ladeira denominada Ladeira da água ou Ladeira da Estrada da Água as conversas foram cessando,  visto o nível de esforço que seria necessário para subira tal ladeira inicial até que um certo ponto, a única coisa que se ouvia era o tilintar dos câmbios e correntes mudando de cassetes e coroas para diminuir o peso na pedalada. Alguns foram ficando pelo caminho e concluíram a ladeira no empurra bike mesmo.
Já com todos acima desta ladeira seguimos por um bom trecho de estrada relativamente plana até chegarmos ao rio da cachoeira da Vitória onde se iniciou uma nova Ladeira essa bem mais longa, e que ficaria ainda mais íngreme ao final já próximo ao distrito de Pedras com cerca de 3 quilômetros de subida e com isso podia-se ver um grande numero de pedaladores já com as línguas e os bofes de fora já pela metade do percurso dela. Mau sabiam eles, que do meio pro final era que o negocio ficava complicado.
Chegando vagarosamente, em pequenos grupos ou sozinhos foram estacionando no primeiro bar que encontraram no distrito. Todos sedentos por uma garrafa gelada e que viesse com o a logo escrito CERVEJA. Pouco importava a marca !!!
Após todos chegarem ao ponto de parada,  partimos com destino a Fazenda da Grama, onde pegaríamos um trecho de single track até a Estrada do canal que nos levaria para a Cachoeira do Rios do Saco ( e nem me perguntem porque esse nome). Neste trecho então fizemos um gostoso percurso de single-track com várias variações de terreno,  passando por dentro da Fazenda de grama com pequenos obstáculos a serem superados, algumas ladeiras em  descidas outras em subida mas a maior parte do tempo e percurso plano. Chegamos então ao caminho da Pitanga e de lá a estrada do canal percorremos até então cerca de cerca de 12 quilômetros e teríamos aproximadamente mais uns 15 quilômetros a chegar na Cachoeira todo ele em estradão de cascalho e muitas pedras soltas, margeando o canal  de agua que vem da Pedra do Cavalo para a capital abastecer.
Ao chegar na Cachoeira a trilha que levava até o Rio é em descida íngreme e com uma curva acentuada  de 180 graus aproximadamente a esquerda o que causou alguns derrapamentos, tombos  e tropeços mas nenhum aparentemente grave
Ao chegar no rio todos puderam deleitar de uma cachoeira agradabilíssima com águas bem fresquinhas ( para não dizer gelada),  onde nem todos os ciclistas que estavam no grupo tiveram a Audácia e coragem para entrar nela. Alguns molhavam as cabeças, outros os pés, para refrescar mas, entrar na cachoeira mesmo que é bom, nada. Passamos um bom tempo, onde todos puderam se reabastecer de líquidos e sólidos e então partimos para o retorno a Santo Amaro.
O retorno de forma bem mais tranquila, fizemos praticamente todo ele pela estrada do canal, onde mais a frente encontraríamos a ladeira da Falha, também conhecida com o FAIA para uma descida íngreme e longa, em que alguns fizeram com maestria e destreza, outros preferiram descer das bikes e empurrar e uns ainda preferiram descer rolando, depois de levar um tombo.
Após cumprido a parte mais difícil do trecho, chegamos ao estradão e seguimos sentido Santo Amaro, e ao entrarmos na cidade, o grupo parou para um novo reabastecimento de cevada até conseguirmos chegar de volta a Praça da Purificação.


De lá o grupo de dispersou e despediu-se da turma de Santo Amaro que nos acompanhou e nos guiou com muito prazer e dedicação, e que agradecemos a todos que participaram do passeio e o grupo PN seguiu para comer uma deliciosa Maniçoba tradicional de Santo Amaro, feita por D. Ligia que nos aguardava em seu sitio.
A todos que participaram, o nosso muito obrigado e até o mês que vem que tem mais.
                                   
Texto:  Mauricio Lopes
Fotos: Fernando Carvalho